Consórcio de Imóveis

Perguntas Frequentes

Você escolhe um valor de crédito, que pode variar de R$ 100 mil a R$ 1 milhão (com composição de cotas), investe em uma parcela mensalmente e, através de sorteio ou lance, é contemplado com o crédito escolhido.

Não, a escolha do imóvel fica a critério do cliente.

O sorteio é feito mensalmente pela Loteria Federal, em datas previamente estipuladas. Cada cota tem um número para o sorteio.

Sim, desde que o valor do imóvel seja igual ou superior ao valor das duas cartas.

O crédito, e proporcionalmente a parcela, é atualizado anualmente pelo INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) para que o consorciado mantenha o poder de compra.

Depende do grupo escolhido. Além desta, será cobrado apenas o seguro de vida, que é uma garantia para a família do consorciado, pois, na falta do titular da cota, o seguro quita o saldo devedor.

Não, o crédito fica aplicado até o momento da sua utilização.

O FGTS pode ser usado para a oferta de lances, como complemento da carta de crédito na hora da aquisição do imóvel e para a amortização ou quitação do saldo devedor do plano de consórcio, respeitando-se as normas da Caixa Econômica Federal.

A contemplação pode acontecer a partir da primeira assembleia de participação. É importante manter as parcelas em dia para aumentar as chances, pois quem está com pagamento(s) pendente(s) não concorre ao sorteio nem participa do lance.

A prioridade é sempre o sorteio. Depois dele ocorrem contemplações por lance, todas condicionadas à disponibilidade de recursos financeiros do grupo.

Entrar em contato com a Ademilar para receber as orientações sobre a documentação necessária para a liberação do crédito.

Sim. Nesse caso, o crédito é liberado conforme o cronograma físico-financeiro da obra.

Não há problema. A diferença que sobrar poderá ser utilizada para reduzir seu saldo devedor ou pagar despesas com a documentação do imóvel.

Sim, mas nesse caso a diferença deverá ser paga com recursos próprios.

Após a contemplação, é possível comprar imóveis novos ou usados, residenciais ou comerciais, em qualquer lugar do Brasil, desde que estejam livres de qualquer ônus e sejam passíveis de alienação.

Sim, todas as parcelas pagas são deduzidas do valor total a pagar.

É uma empresa especializada que reúne e organiza os grupos de consórcio. Para atuar, a administradora deve ter, obrigatoriamente, autorização do Banco Central do Brasil.

Não, pois o lance deve ser quitado em dinheiro. No entanto, é possível retirar o lance do valor total a ser recebido, é o chamado "lance embutido".